Ratos

Home > Controle de Pragas

Achatados lateralmente, na fase de adulto são ecotoparasitas de aves e mamíferos, tendo seu ciclo de vida dividido em ovo, larva, pupa e adulto. São hematofagos alimentam-se de sangue. Embora mundialmente sejam conhecidas 2.500 espécies, no Brasil apenas 59 foram, até o presente, assinaladas. Entre as espécies de pulgas existem as penetrantes e as semi-penetrantes. Espécies semi-penetrantes são as que se fixam nos respectivos hospedeiros exclusivamente por meio de lacínias, deixando o tórax e o abdome a descoberto. Todas as espécies de pulgas penetrantes estão incluídas no gênero tunga que introduzem, obrigatoriamente, a cabeça, o tórax e parte do abdome nos tecidos dos hospedeiros. Uma das espécies deste gênero de pulga e conhecida vulgarmente denominada de bicho-de-pé. Apesar de ambos os sexos serem hematófagos, apenas a fêmea penetra nos tecidos dos hospedeiros, lá se alimentando de líquido tissular e sangue.

Universalmente temidos e abominados, os ratos, as ratazanas e os camundongos, vem acompanhando o homem na maioria das áreas habitadas do mundo. A facilidade de adaptação permitiu que estes roedores ocupassem, ao longo de vários séculos, todos os continentes, inclusive ilhas isoladas do Oceano Pacífico. O despejo irregular do lixo e o descuido do homem na manipulação de alimentos são fatores que também favorecem a dispersão destes roedores. No ambiente urbano, os roedores são responsáveis por grandes prejuízos econômicos, contaminando alimentos e ocasionando, inclusive, incêndios ao roerem o isolamento de fios elétrico.

Ratazanas, ratos e camundongos têm excelente capacidade de adaptação. São onívoros e consomem diariamente cerca de um décimo do seu peso em alimento. Possuem dois pares de dentes incisivos (um par no maxilar superior e um par no maxilar inferior), revestidos externamente por uma camada de esmalte muito resistente. Estes dentes crescem até 3 milímetros por semana. Para desgastá-los roem objetos de grande resistência, tais como: concreto, chumbo e madeira. A capacidade de reprodução dos roedores é extraordinária. Um casal pode produzir mais de 15.000 descendentes por ano, porém este número se reduz de forma drástica devido à ação de fatores limitativos que controlam o equilíbrio entre reprodução, migração e morte. Destacando-se: inimigos naturais, doenças, disponibilidade de alimentos e abrigos, etc.

HABILIDADES – SENSORIAIS

Olfato : Bastante apurado, com memorização dos diferentes gostos experimentados. Repelem alimentos deteriorados.

Tato : O sentido mais desenvolvido, ao nível de certos pelos sensoriais distribuídos pelo corpo e dos bigodes ou vibrissas, que são de grande utilidade para o seu deslocamento, beirando as superfícies laterais das paredes e dos obstáculos.

Audição : É um dos sentidos mais desenvolvidos, ajuda a detectar e escapar do perigo com antecedência. São sensíveis aos ultra-sons, mas adaptam-se aos mesmos, em pouco tempo.

Visão : Os ratos enxergam mal e não conseguem distinguir cores. Mas são bastante sensíveis às variações de intensidade luminosa, o que confere aos mesmos capacidade imediata de perceber movimentos.

Habilidades – Físicas

• Passando a cabeça são capazes de se locomover pelo interior de canos, conduites e tubulações de diversos tamanhos.

• Roem vários tipos de materiais considerados duros, entre eles, madeira, tijolos, chumbo, alumínio, etc.

• Sustentam a respiração por até 3 minutos, e nadando dentro de um cano de esgoto, podem facilmente penetrar em um residência através do vaso sanitário. Exímios nadadores, alcançando distâncias até 800 metros.

• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que estejam separados de uma parede por até 7,5 cm de distância, apoiando as patas no cano e as costas na parede ou vice-versa.

• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que tenham até 9,5 cm de diâmetro, abraçando-se neles.

• Pulam verticalmente cerca de 1 metro de altura, partindo do chão.

• Caminham e equilibram-se sobre qualquer tipo de cano ou conduite horizontal.

• Acessam andares superiores de edificações, através do interior de canos e calhas com diâmetro entre 4 e 10 cm, usando para isso o apoio de suas patas e costas.

• Cavam tocas verticais no solo podendo atingir até 1,25 metros de profundidade.

• Ganham andares superiores de construções fazendo uso somente de quina de duas paredes como sustentação.

• Não sofrem qualquer tipo de ferimento em quedas até 15 metros de altura.

• Saltam horizontalmente até 1,2 metros de distância, partindo da imobilidade.

• As ratazanas e os ratos de telhado ou pretos vivem em colônias localizadas em lugares bem definidos. Já os camundongos formam apenas casais que se mantém juntos até o fim da vida.

• Os roedores exercem suas atividades predominantes à noite. Iniciam a procura de alimentos ao anoitecer e um repasse antes do nascer do dia. Apenas quando houver uma superpopulação ou falta de alimento ou de perigo serão vistos durante o dia.

Preferências alimentares

• Onívoros (comem de tudo). Preferem alimentos frescos aos estragados oufermentados.

• Preferem cereais (grãos quebrados), frutas, carnes e peixes.

• Horário de alimentação entre 17:00 e 19:00 horas. Neofobia/Neofilia (aversão a tudo que é novo).

Doenças transmitidas

• Leptospirose – Salmonelose

• Peste Bubônica – Hantavírus

• Sarnas e Micoses

• Febre de mordedura – Tifo murino

Principais espéies urbanas

Ratazanas (Rattus Norvegicus)

– É o mais comum dos roedores urbanos. Tem hábitos noturnos, sedentários e agressivos. Normalmente vivem nas áreas externas das residências. Abrigam-se em tocas (ninheiros) e galerias que cavam as fundações dos edifícios, em depósitos de lixo, nos jardins, à beira de córrego ou valas. A rede de esgoto ou de escoamento pluvial, também, serve como abrigo para estes roedores.

– No interior de residências, abrigam-se entre pisos e paredes, nos espaços mortos de armários, etc…

– O corpo é robusto, podendo alcançar 25 cm de comprimento sendo revestido com pelos de coloração castanho-acinzentada. A cauda é grossa, pouco peluda e mais curta do que o conjunto cabeça e corpo. O focinho é rombudo, as orelhas são pequenas e dispostas para trás, encostadas à cabeça. Os pés traseiros são bem desenvolvidos, chegando a medir 37 mm.

– As fezes são grandes, escuras, cilíndricas e apresentam as extremidades arredondadas.

– Vivem um ano em média. Atingem a maturidade sexual entre o segundo ou terceiro mês de vida. O período de gestação é de 22 dias, parindo oito ou dez filhotes por ninhada, procriando quatro ou cinco vezes por ano.

– Possuem hábitos semi-aquáticos e são excelentes nadadoras. Alimentam-se preferencialmente de peixes, carnes e cereais. Dificilmente ficam abrigadas em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

Rato (Rattus rattus)

– Conhecidos como “ratos de forro”, são menores do que as ratazanas, ágeis e possuem o focinho afilado. A cauda é mais longa do que o conjunto cabeça e corpo, possibilitando um melhor equilíbrio. A coloração varia entre o preto e o cinza escuro. As orelhas são grandes e proeminentes. As fezes são fusiformes, medindo cerca de 12 mm.

– Vivem cerca de 1 ano. A maturidade sexual é atingida entre o segundo e o terceiro mês de vida. O período médio de gestação é de 22 dias, parindo 4 e 8 filhotes anualmente com 5 a 6 ninhadas por ano.

– Abrigam-se acima do nível do solo. Em residências escondem-se em forros e sótãos. Nas áreas abertas, preferem o topo das árvores.

– São onívoros, preferem frutas, legumes e cereais. Dificilmente abrigam-se em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

Camundongos (Mus musculus)

– É o menor dos roedores domésticos. Tem tamanho aproximado de 18 cm, sendo 9 cm de corpo e 9 cm de cauda. Seu peso é aproximadamente de 15 gramas. O corpo é pequeno e delicado, revestido com pelos de coloração acinzentada. As orelhas são proeminentes e os olhos são vivos e salientes. As fezes são pequenas, finas e com as pontas afiladas, podendo ser confundidas com as fezes de baratas.

– Vivem cerca de um ano e com 2 meses (68 dias) já são considerados adultos. O período de gestação é de aproximadamente 19 dias e a ninhada comum varia de 4 a 8 filhotes. Procriam 7 ou 8 vezes por ano.

– São onívoros. Tem preferência alimentar por cereais.

– Abrigam-se em espaços de paredes, de armários, de móveis, ou até mesmo entre os gêneros armazenados. Dificilmente distanciam-se mais do que 9 metros entre o local de abrigo e a fonte de alimentação. Geralmente são confundidos com filhotes de ratazanas ou de ratos.